0

Qual a importância do Teste da orelhinha para os bebês?

A surdez é muito mais comum do que se pensa. A cada grupo de 1.000 bebês que nasce no Brasil, em media 3 sofrem de deficiência auditiva. A doença poderia ser identificada e tratada a partir dos primeiros meses, o que aumentaria muito as chances de reabilitação da criança. Estudos revelam que em media, a idade de diagnostico da surdez no Brasil é aos quatro anos, fase em que o desenvolvimento da fala e da linguagem já estão seriamente prejudicados. Por causa do seu mundo silencioso, a criança perde a fase mais importante da aquisição da linguagem e, consequentemente, terá dificuldade de comunicação e de se relacionar socialmente.

O que são Emissões Otoacústicas Evocadas ou “Teste da Orelhinha”?

È um exame onde as emissões otoacústicas evocadas são uma resposta a um estímulo acústico e dependem de propriedades ativas da cóclea. Tais emissões constituem um índice muito sensível da integridade do mecanismo auditivo, uma vez que a resposta desaparece quando existe qualquer anomalia funcional significativa no ouvido interno ou médio. Esse eco ou EOA pode ser captado por um microfone acoplado a uma sonda, colocado no conduto auditivo externo. As EOA avaliam a integridade coclear.

Como é feito o “Teste da Orelhinha”?

1. Este é um teste seguro, que não provoca incômodo para bebê e dura aproximadamente 15 minutos. Com o bebê dormindo, é inserido uma sonda na orelha, que envia e recebe estímulos sonoros, sendo possível detectar se o bebê escuta

2. ou não os sons que lhe são apresentados.

3. Se o bebê apresenta resultado insatisfatório, recomenda-se repeti-lo após alguns dias, pois pode haver presença de liquido amniótico no ouvido do bebê, o que leva a um resultado “falso positivo”.

4. A falta de resposta, após a repetição do teste, significa que o bebê precisa realizar exames complementares.

5. Caso a deficiência auditiva seja confirmada, a criança deverá ser encaminhada para um especialista, de maneira a receber o melhor tipo de tratamento.

Quem deve fazer o “teste da orelhinha”?
Todos os bebês, pois qualquer bebê pode nascer com deficiência auditiva, principalmente aqueles que apresentarem indicadores de risco, tais como:

Uso de medicamentos ototóxicos;
Otite media recorrente ou persistente por mais de 3 meses;
Internação em UTI por mais de 48 horas;
Infecção congênita (sífilis, rubéola, citomegalovírus; toxoplasmose);
Histórico familiar;
Peso ao nascer inferior a 1.500 gramas;
Anormalidades craniofaciais;
Icterícia que necessitou de banho de luz;
Meningite bacteriana;
Ventilação mecânica por mais de 5 dias;
Apagar de 0-4 no 1° minuto ou 0-6 no 5° minuto;
Alterações neurológicas.


http://guiameubebe.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=168:novo-qual-a-importancia-do-teste-da-orelhinha-para-o-bebe&catid=9:saude&Itemid=30

0 comentários:

Postar um comentário

Vem comigo!

Método das Boquinhas - Renata Jardini

Loading...

Educação Especial

Loading...

Disfagia

Loading...

Fonoaudiologia Estética

Loading...

Gagueira

Loading...

A Divulgação da Fonoaudiologia!

AVISO

Este Blog é uma central de compartilhamento de informações, notícias, trabalhos científicos e arquivos. Sendo seu objetivo principal a interação entre fonoaudiólogos ou estudantes de fonoaudiologia e áreas correlacionadas, sendo assim sua participação é sempre de extrema importância. Além das informações e orientações sobre Fonoaudiologia e áreas correlacionadas, estarão disponíveis materiais terapêuticos, sendo que as autorias sempre serão respeitadas. O fornecimento dos Download visa suprir a dificuldade de acesso e aquisição de materiais em nossas áreas de atuação, porem jamais fazendo apologia a pirataria. Assim deixo um pedido: Caso possam adquirir as obras nas livrarias, compre-as, contribuindo assim com os autores e com o movimento da máquina científica. As publicações de minha autoria que estão sendo disponibilizadas podem ser utilizadas de forma livre pelos visitantes, peço apenas que divulguem a fonte e autoria do material.
“As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e o acompanhamento ao Odontopediatra, Ortopedia Funcional dos Maxilares, Ortodontia,Fonoaudiologia, Nutrição, Psicologia, Pediatria e outros especialistas”