0

A melhor idade para seu filho fazer cada coisa - 2 aos 6 anos


As idades são só uma referência. E nunca é demais lembrar:a demora nem sempre quer dizer problema.

Falar no telefone-2 anos e meio
Nessa fase, ela gosta de imitar os adultos e já fala com segurança. Visto como algo mágico que os pais sempre usam, o telefone vira atração. A atividade ajuda no desenvolvimento social. As conversas preferidas são com conhecidos, principalmente os avós.

Empilhar cubos, lidar com brinquedos de encaixar, pintar com os dedos
entre- 1 e meio e 3 anos
Com cerca de 1 ano e meio, a criança já tem habilidade para empilhar e encaixar brinquedos -- e deve ser estimulada, pois esse treino vai ajudar em movimentos futuros, como segurar corretamente um lápis. Nessa época, ela também consegue enfiar os dedos na lata de tinta. Mas levá-los ao papel, e não à boca, exige uma coordenação motora que só virá depois dos 2 anos.

Nadar-3 anos
Antes dos 3 anos, a atividade é apenas lúdica, porque a criança ainda não tem coordenação para fazer os movimentos. Os problema da natação para bebês são as bactérias e o cloro, que podem irritar a pele e provocar alergias.

Noção de tempo-3 anos
O conceito de tempo está vinculado à duração de uma atividade repetitiva: papai chega em casa quando acaba o desenho. A criança começa a compreender um pouco do significado de "hoje", "amanhã", "manhã", "tarde" e "noite" aos 3 anos, mas só terá noção mais exata do tempo por volta dos 5 ou 6 anos.

Ir ao teatro-3 anos
Ao vivo e cheio de ações, o teatro prende mais a atenção do que o cinema. Com essa idade, ela entende o faz-de-conta e se diverte com as histórias.

Andar de bicicleta (com rodas de apoio)-3 anos
Ela já tem coordenação motora para mover os pedais e direcionar a bicicleta, principalmente se teve uma experiência inicial com triciclos. Ainda não dá para exigir que pedale sem rodinhas. Isso acontece, em média, aos 6 anos.

Dormir fora de casa-3 para 4 anos
Nessa época, ela se sente segura para dormir na casa de parentes, como avós ou uma tia próxima, mas ainda pode chorar na casa de amiguinhos. Com 5 anos, será mais fácil, pois toda criança fica mais sociável.

Escovar os dentes sozinho-4 anos
Já se desenvolveu a habilidade para manusear a escova, ainda mais se houve estímulo. Mesmo assim, um adulto deve supervisionar a escovação, pelo menos a noturna -- a principal, segundo os odontopediatras.

Ir pela primeira vez ao cinema-4 anos
Ela consegue ficar sentada por períodos mais longos. Prefira desenhos animados. Filmes devem ser deixados para dois anos depois, quando a criança terá capacidade de entender roteiros mais elaborados. O passeio será mais tranqüilo se ela estiver acostumada às sessões de vídeo em casa.

Amarrar os sapatos-5 para 6 anos
A criança já desenvolveu habilidade motora fina e coordenação. Deixar o laço malfeito não significa nenhum problema de coordenação.

Escolher as próprias roupas-5 para 6 anos
A partir de 3 anos, a criança demonstra suas preferências. Mas é a partir dos 5 que consegue adequar sua escolha ao clima ou ao contexto em que as roupas são usadas. Antes dessa idade, é comum que ela escolha um casaco para ir à praia, por exemplo.

Praticar esportes-6 anos
O desenvolvimento permite movimentos mais elaborados, como os exigidos no futebol, no tênis e no vôlei, por exemplo. A criança também tem maturidade para assimilar as regras dos jogos.

Arrumar a cama-6 anos
Ela já desenvolveu a noção de que deve cuidar daquilo que usa e é seu. Principalmente se foi bem orientada pelos pais. E também já tem altura e coordenação motora suficientes para realizar a tarefa.

Aprender a ler-6 para 7 anos
Nessa idade, a criança consegue simbolizar a imagem das letras e discriminar os sons. Nada impede, porém, que aprenda a ler mais cedo, se o seu desenvolvimento o permitir. Uma boa estimulação é ler para os filhos e ter em casa uma biblioteca só para eles.

Atravessar a rua sozinho-10 anos
Ela tem mais capacidade de perceber perigos e coordenar várias ações ao mesmo tempo, como olhar os carros, procurar a faixa de segurança, checar o farol, não se distrair e até correr se algum carro avançar. Observe seu filho quando estiver com ele na rua e só libere os passeios solitários se ele se sentir seguro.

Ficar em casa sozinho-13 anos
A criança já pode ficar sozinha por alguns períodos. tem autonomia para tomar decisões básicas e executá-las, como preparar um lanche ou pedir ajuda pelo telefone. Deixe algumas orientações antes de sair.

Andar de ônibus sozinho-14 para 15 anos
O adolescente tem mais responsabilidade e consciência de perigos. Sabe como evitá-los e como enfrentar situações não planejadas. Se entra no ônibus errado, por exemplo, sabe como parar em outro ponto e pegar a condução certa. Essa capacidade varia conforme os aspectos culturais e sociais da vida de cada um.

0 comentários:

Postar um comentário

Vem comigo!

Método das Boquinhas - Renata Jardini

Loading...

Educação Especial

Loading...

Disfagia

Loading...

Fonoaudiologia Estética

Loading...

Gagueira

Loading...

A Divulgação da Fonoaudiologia!

AVISO

Este Blog é uma central de compartilhamento de informações, notícias, trabalhos científicos e arquivos. Sendo seu objetivo principal a interação entre fonoaudiólogos ou estudantes de fonoaudiologia e áreas correlacionadas, sendo assim sua participação é sempre de extrema importância. Além das informações e orientações sobre Fonoaudiologia e áreas correlacionadas, estarão disponíveis materiais terapêuticos, sendo que as autorias sempre serão respeitadas. O fornecimento dos Download visa suprir a dificuldade de acesso e aquisição de materiais em nossas áreas de atuação, porem jamais fazendo apologia a pirataria. Assim deixo um pedido: Caso possam adquirir as obras nas livrarias, compre-as, contribuindo assim com os autores e com o movimento da máquina científica. As publicações de minha autoria que estão sendo disponibilizadas podem ser utilizadas de forma livre pelos visitantes, peço apenas que divulguem a fonte e autoria do material.
“As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e o acompanhamento ao Odontopediatra, Ortopedia Funcional dos Maxilares, Ortodontia,Fonoaudiologia, Nutrição, Psicologia, Pediatria e outros especialistas”