0

Fatores fortes e fracos dos Disléxicos

Fatores Fortes do Disléxico
A dislexia é comumente descrita enfocando-se os fatores fracos dos disléxicos, sua falhas ou seqüelas, que são inúmeros quando comparados às performances dos indivíduos ditos "normais". O próprio educador e os pais podem relatar, com minúcias, todos os erros e equívocos que estes indivíduos cometem, sendo esta questão a grande problemática.
Reparo, baseada em experiência clínica e em contato com inúmeros disléxicos com os quais convivo, que a insistência em enfocar-se o lado "doente" dos disléxicos faz-nos seres limitados, comparados ao seu brilhantismo, quando reabilitados. Talvez pelo fato dos disléxicos lidarem com os dois hemisférios cerebrais, direito e esquerdo, simultaneamente, muitas vezes sem predomínio de dominância cerebral, têm potencialmente, desenvolvidas mais habilidades, que trabalhando em conjunto, capacitam-nos acima dos “normais”, realizando com maestria, inúmeras atividades ao mesmo tempo. Quando reabilitados, conscientes de seu potencial e ao mesmo tempo de suas dificuldades, controlam a dispersão, desenvolvem a atenção e a disciplina, que são fatores fundamentais para o seu sucesso e alcançam êxito nas habilidades de linguagem.
Acredito que a ênfase deveria ser dada à "saúde" do disléxico, ou seja, suas potencialidades, que são, sem qualquer sombra de dúvida, ilimitadas, quando comparadas aos "normais". Este enfoque, positivista do caso, tem sua importância para pais, professores e para os disléxicos em geral, pois lhes abre caminho para o sucesso, em lugar de fechar-lhes as portas. Isto é facilmente observável quando reabilitamos adultos disléxicos, que muitas vezes chegam aos consultórios com queixas indefinidas, que abrangem insatisfações pessoais com performances linguísticas abaixo de seu real potencial.
Assim sendo, destaco alguns destes fatores, como: ótimo nível intelectual, criatividade acima do esperado, bom humor, fácil socialização, sendo o "amigo de todos", facilidade em quebrar paradigmas, genialidade, inventividade, aptidões intuitivas e artísticas, habilidade em lidar com múltiplas situações ao mesmo tempo, facilidade em desenvolver a inteligência emocional, e em alguns casos, maior facilidade com o cálculo matemático. 

Fatores Fracos do Disléxico: classificação
Como citado anteriormente, por tratar-se de uma patologia com características sindrômicas, muitos sintomas podem estar presentes nos indivíduos disléxicos. Fica então claro que a observância de apenas uma ou duas características não é evidência da presença da patologia, que ressaltando mais uma vez, deve ser avaliada por especialista e equipe multidisciplinar. 

Dislexia Predominantemente Visual:
. inversões (letras, sílabas, palavras, frases). Ex.: pra/par, sol/los, pedra/preda, quebra/breca;
. omissões (letras, sílabas, palavras, linhas). Ex.: óculos/óclos, relógio/relógo, entrada/etrada;
. aglutinações de palavras na frase. Ex.: /omeninopu loua cerca/,
. não corta o /t/;
. não pinga o /i/;
. trocas espaciais (b/d, p/q, 2/5, 12/21, par/pra, as/sa);
. espelhamento resistente de números e letras;
. não soletra, não analisa nem sintetiza a palavra, decompondo-a em letras;
. dificuldade na coordenação e ritmo;
. confusões na leitura. Ex.: esguia/estria, mamadeira/madeira, aflição/afiliação;
. neografismos (cria letras que são a somatória de duas ou mais, como /d/ cortado;
. neologismos (na fala, inventa palavras. Ex.: enfestado=arrumado para uma festa);
. disgrafias (letra ilegível e irregular);
. dificuldades na leitura de palavras (decodificação, lê errado embora entenda o que leu);
. confusão de direita com esquerda;
. falta de predomínio da dominância cerebral (ambidestrismo?);
. desajeitado, derruba tudo, às vezes hiperativo;
. dificuldade para dar laçadas;
. dificuldades em memorizar nomes, telefones;
. dificuldades com memória imediata, repetir em seguida, frases ouvidas;
. dificuldades com fisionomias;
. dificuldades ao vestir-se (avesso e direito);
. dificuldades na compreensão leitura (textos);
. dificuldades na produção de textos com seqüência lógica temporal e coerência;
. confusão com antônimos (abrir/fechar, /dentro/fora);
. não memoriza matérias decorativas e tabuadas;
. confunde-se ao preencher formulários, gabaritos e tabelas com linhas e colunas;
. confunde-se na seqüência das perguntas ao responder questionários, gabaritos;
. não gosta de ler, estudar e escrever;
. dificuldade com línguas estrangeiras;
. apresenta desatenção, dispersão;
. apresenta resistência em atender ordens e limites;
. apresenta resistência ao conservadorismo, método e rotina;
. demonstra pouco asseio pessoal e higiene;
. apresenta baixa auto-estima afetiva e intelectual (acha-se "burro"); 

Dislexia Predominantemente Fonológica:
. troca letras surdas/sonoras (p/b, t/d, k/g, f/v, x/j, s/z);
. troca arquifonemas (ar, an, as, al)
. troca vogais (/a/ por /o/, /e/ por /i/, /o/ por /u/);
. troca nasais (n/m, ão/am, em/eim, ã/am);
. troca grupos consonantais (pra/pla);
. omissões (letras, sílabas, palavras, linhas);
. comete muitos erros no ditado;
. dificuldades com sinônimos;
. fica no "mundo da lua";
. apresenta lentidão ou imprecisão em dar respostas;
. dificuldades com a seqüência dos fatos ao contar casos;
. dificuldades com a leitura (decodificação, lê errado embora entenda o que leu);
. dificuldades na compreensão da leitura de textos;
. dificuldades na produção de textos com seqüência lógica temporal e coerência;
. dificuldade em resumir idéias, textos;
. confusão com antônimos (abrir/fechar, dentro/fora);
. falta de predomínio da dominância cerebral (ambidestrismo?);
. confusão de direita com esquerda;
. não soletra (não analisa, não sintetiza, decompondo-a em letras);
. não memoriza matérias decorativas;
. não memoriza tabuada;
. dificuldade com línguas estrangeiras;
. demora muito para responder ou responde equivocadamente;
. não gosta de ler, estudar e escrever;
. apresenta baixa auto-estima afetiva e intelectual;
. é inseguro;
. apresenta desatenção, dispersão; 

Dislexia Mista:
Apresentam uma somatória ou a presença de vários itens descritos anteriormente, sendo mais trabalhosa sua reeducação. 

Fonte: http://www.metododasboquinhas.com.br/base.asp?pag=dis_fatorfraco.htm

0 comentários:

Postar um comentário

Vem comigo!

Método das Boquinhas - Renata Jardini

Loading...

Educação Especial

Loading...

Disfagia

Loading...

Fonoaudiologia Estética

Loading...

Gagueira

Loading...

A Divulgação da Fonoaudiologia!

AVISO

Este Blog é uma central de compartilhamento de informações, notícias, trabalhos científicos e arquivos. Sendo seu objetivo principal a interação entre fonoaudiólogos ou estudantes de fonoaudiologia e áreas correlacionadas, sendo assim sua participação é sempre de extrema importância. Além das informações e orientações sobre Fonoaudiologia e áreas correlacionadas, estarão disponíveis materiais terapêuticos, sendo que as autorias sempre serão respeitadas. O fornecimento dos Download visa suprir a dificuldade de acesso e aquisição de materiais em nossas áreas de atuação, porem jamais fazendo apologia a pirataria. Assim deixo um pedido: Caso possam adquirir as obras nas livrarias, compre-as, contribuindo assim com os autores e com o movimento da máquina científica. As publicações de minha autoria que estão sendo disponibilizadas podem ser utilizadas de forma livre pelos visitantes, peço apenas que divulguem a fonte e autoria do material.
“As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e o acompanhamento ao Odontopediatra, Ortopedia Funcional dos Maxilares, Ortodontia,Fonoaudiologia, Nutrição, Psicologia, Pediatria e outros especialistas”