0

Relactação


Hoje tenho percebido um modismo em utilizar vários apetrechos para auxiliar na maternagem, desde o parto até quando os filhos são já grandinhos.
Uma delas atualmente bastante usada para auxiliar a amamentação é o relactador ou kit montado similar.
Já orientei algumas mães na utilização, mas acho importante dizer que a relactação não é essencial à amamentação.
Em alguns casos, a relactação pode ajudar TEMPORARIAMENTE a manutenção da amamentação. No entanto, há o risco de o bebê preferir mamar ao seio com a sonda presente. Lembre-se mamar com a sonda do relactador é bem mais fácil do que somente no seio e, portanto, se usada exageradamente pode causa uma dependência no bebê.
O que é relactação?
É um método de iniciar ou reiniciar a produção de leite da mãe ou mãe adotiva, estimulando a sucção do bebê ao seio e alimentando-o com o leite materno ordenhado.
Grande parte das mulheres oferece leite artificial (leite de vaca modificado) o que não é necessário em muitos casos.
O leite materno ordenhado é colocado em uma seringa, mamadeira ou copinho e este ligado a uma sonda que deve ser presa ao seio, com sua extremidade perto do mamilo. O bebê sugará o mamilo e a sonda ao mesmo tempo.
Muitos casos recentes de utilização do relactador é quando o bebê que já mama começa a recusar a mamar. O bebê chora, empurra o peito e, em alguns casos, se joga para trás. Essa reação acontece muitas vezes quando o bebê usa chupeta ou mamadeira.
Uma das maneiras que facilita a utilização do método é esguichar um pouco de leite materno com uma seringa na boquinha do bebê antes de oferecer o seio e logo após a pega estar correta introduzir a sonda.
A sonda utilizada é a nasogástrica que deve ser adquirida em fármacias de material hospital e de número 4 ou 5.
O relactador vendido comercialmente é o SNS da Medela (http://www.medela.com/ISBD/breastfeeding/products/nursing.php)
O tempo de utilização do relactador deve ser até que a mãe aumente a produção de leite que varia a cada dupla mãe/bebê. Uma das coisas mais importantes é não criar expectativas e deixar as coisas seguirem o ritmo normal. Cada ml é muito importante.
A sucção do bebê é o que há de mais poderoso para auxiliar a produção de leite e não deve ser limitada a tempo ou quantidade. Um bebê pode chegar a ficar horas ao seio e não haver nada de errado. Devemos lembrar que o bebê solicita o seio não só por fome, mas para aconchegar, ser consolado, etc.
Fazer uso de carregadores e, portanto, ter o bebê sempre grudadinho ao corpo também pode auxiliar na produção de leite, bem como: descansar e dormir perto do bebê.

0 comentários:

Postar um comentário

Vem comigo!

Método das Boquinhas - Renata Jardini

Loading...

Educação Especial

Loading...

Disfagia

Loading...

Fonoaudiologia Estética

Loading...

Consciência Fonológica em crianças de 3 anos pelo Método das Boquinhas

Loading...

A Divulgação da Fonoaudiologia!

AVISO

Este Blog é uma central de compartilhamento de informações, notícias, trabalhos científicos e arquivos. Sendo seu objetivo principal a interação entre fonoaudiólogos ou estudantes de fonoaudiologia e áreas correlacionadas, sendo assim sua participação é sempre de extrema importância. Além das informações e orientações sobre Fonoaudiologia e áreas correlacionadas, estarão disponíveis materiais terapêuticos, sendo que as autorias sempre serão respeitadas. O fornecimento dos Download visa suprir a dificuldade de acesso e aquisição de materiais em nossas áreas de atuação, porem jamais fazendo apologia a pirataria. Assim deixo um pedido: Caso possam adquirir as obras nas livrarias, compre-as, contribuindo assim com os autores e com o movimento da máquina científica. As publicações de minha autoria que estão sendo disponibilizadas podem ser utilizadas de forma livre pelos visitantes, peço apenas que divulguem a fonte e autoria do material.
“As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e o acompanhamento ao Odontopediatra, Ortopedia Funcional dos Maxilares, Ortodontia,Fonoaudiologia, Nutrição, Psicologia, Pediatria e outros especialistas”