3

Freio lingual curto - Frenoctomia fazer ou não?

Freio lingual curto e anteriorizado, a causa da "língua presa"

 
  
  Já escrevi em outro artigo sobre a popularização do termo "língua presa". Normalmente,    trocas  na fala e interposição de língua durante esta recebem essa denominação pelos leigos.    Mesmo   nos casos de atraso na aquisição de fala muitos pais questionam os pediatras se a    causa  seria   porque a língua da criança é presa.
   Na verdade, quase a totalidade das alterações de fala não tem qualquer relação com a real    "língua presa", ou seja, com a presença de um freio lingual encurtado e com inserção    anteriorizada. Porém, há casos em que realmente existe um encurtamento e uma inserção    anteriorizada do freio lingual, o que prejudica a movimentação da língua e conseqüentemente    a  fala e a deglutição (ato de engolir).
  Quando colocamos a língua no palato duro (céu da boca) vemos um "fiozinho". Este é o freio    lingual. Caso este esteja inserido muito próximo à ponta da língua, repuxando-a pelo meio,    podemos dizer que este sim é um freio curto e a língua esta "presa". Mesmo assim, há casos em    que não há alterações nem de fala nem de deglutição.
   Nos casos em que existe algum desses problemas, há necessidade inicialmente de uma    frenectomia (ressecção do freio lingual) para que a mesma possa ter "liberdade" para se    movimentar. Esta cirurgia pode ser realizada tanto pelo cirurgião dentista como pelo    otorrinolaringologista.
   Com essa cirurgia, a língua já não tem mais a restrição de movimento estrutural, porém, como    por muito tempo as possibilidades de movimentação eram restritas, há a necessidade de    tratamento fonoaudiológico para reorganizar os movimentos da língua tanto para a deglutição    como para a fala. Quando o freio lingual é curto a língua tem dificuldades para elevar e    produzir adequadamente sons como do /t/, /d/, /l/ e /r/, dentre outros.
   Assim, caso tenha dúvidas, faça uma avaliação com um fonoaudiólogo para saber o que causa    a alteração de fala de seu filho, ou da própria fala, para que a melhor conduta seja seguida e não    se realize uma frenectomia desnecessariamente.

http://www.fonosaude.com.br/artigos/artigo18.htm

3 comentários:

Thaiana disse...

Olá, Já sou adulta tenho 25 anos e percebo que tenho o freio lingual curto.Quem devo procurar para diagnosticar se tenho mesmo o problema? E se tiver após a Frenectomia posso ficar com defeitos na fala devido a minha idade?

Leandra Teixeira Falcão disse...

Boa noite querida! Você deve procurar um Fonoaudiólogo ou um Ortodontista Buco-maxilo, para avaliação. Havendo necessidade, o procedimento é tranquilo com prognóstico favorável! Não existe dados ou estudos de pós frenectomia e alterações de fala que antes não existiam! Abraço,

Fausto Roger Campos disse...

Olá, fui submetido a uma frenectomia lingual mas minha língua continua curta. É normal ter que refazer essa cirurgia? Ou ela é feita somente uma vez?
Obrigado!
Fausto

Postar um comentário

Vem comigo!

Método das Boquinhas - Renata Jardini

Loading...

Educação Especial

Loading...

Disfagia

Loading...

Fonoaudiologia Estética

Loading...

Gagueira

Loading...

A Divulgação da Fonoaudiologia!

AVISO

Este Blog é uma central de compartilhamento de informações, notícias, trabalhos científicos e arquivos. Sendo seu objetivo principal a interação entre fonoaudiólogos ou estudantes de fonoaudiologia e áreas correlacionadas, sendo assim sua participação é sempre de extrema importância. Além das informações e orientações sobre Fonoaudiologia e áreas correlacionadas, estarão disponíveis materiais terapêuticos, sendo que as autorias sempre serão respeitadas. O fornecimento dos Download visa suprir a dificuldade de acesso e aquisição de materiais em nossas áreas de atuação, porem jamais fazendo apologia a pirataria. Assim deixo um pedido: Caso possam adquirir as obras nas livrarias, compre-as, contribuindo assim com os autores e com o movimento da máquina científica. As publicações de minha autoria que estão sendo disponibilizadas podem ser utilizadas de forma livre pelos visitantes, peço apenas que divulguem a fonte e autoria do material.
“As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e o acompanhamento ao Odontopediatra, Ortopedia Funcional dos Maxilares, Ortodontia,Fonoaudiologia, Nutrição, Psicologia, Pediatria e outros especialistas”