1

Atividades para desenvolver a praxia fina


 

Atividades para desenvolver a Praxia Fina

 

Existem muitas actividades para desenvolver a praxia fina, que podem ser feitos em casa, na escola ou num passeio ao ar livre. Aqui ficam algumas sugestões:

·   Rasgar papel livremente: em pedaços grandes, em tiras, em pedaços pequenos. Inicialmente a criança deve utilizar papel menos espesso, aumentando gradualmente o nível de resistência;
·    Recortar com tesoura: treinar a forma de segurar a tesoura, cortar o ar, sem papel. Recortar vários tipos de papel com a tesoura: tiras de papel largas e compridas, formas geométricas e figuras simples desenhadas em papel dobrado;
·     Colar recortes em folha de papel livremente, recortes em folha de papel apenas numa área determinada, recortes sobre uma linha vertical, recortes sobre uma linha horizontal, recortes sobre uma linha diagonal;
·   Moldar com plasticina e barro formas circulares, esféricas, achatadas nos topos, ovais, cónicas, cilíndricas, quadrangulares, etc;
 ·     Perfurar numa placa de esferovite (e/ou folha de cartolina) com agulha de croché ou caneta de ponta fina sem carga. Recortar pelo contorno figuras desenhadas em cartolina.

 Atividade "Sequência Lógico-temporal"

 

O técnico/professor/pai fornece à crinça cartões, como os abaixo apresentados, que representam sequências lógico-temporais e pede-lhe que os coloque na ordem correcta, justificando a sua escolha. Este tipo de exercícios desenvolve o raciocínio lógico e a estruturação espácio-temporal (factor em que os disléxicos apresentam bastentes dificuldades).


Treino da Percepção Visual - Constância da forma

Marca, na figura, as formas iguais à do quadrado. Boa sorte!







Treino da Percepção Visual - Velociadade Vísual Motora

Coloca, nas figuras, os traços que faltam para ficarem iguais à do rectângulo a seguir apresentado.


















Treino da Percepção Visual - Fechamento Vísual

Marca a figura com o formato exactamente igual à do rectângulo pequeno.  












Treino da Percepção Visual - Relações Espaciais

Marca, nos rectângulos, traços na mesma posição dos representados à esquerda.

Treino da Percepção Visual - Figura-fundo

Indica, na figura, quantos patos estão representados.

Treino da Percepção Visual - Cópia

Copia as figuras nos rectângulos que estão por baixo de cada uma.


Treino da Percepção Visual - Posição no Espaço

Indica qual a figura que está na mesma posição da dos rectângulos da esquerda.


Treino da Percepção Visual - Coordenação óculo-manual

Coloca, no caminho, um traço a ligar o boneco ao objecto correspondente. Boa sorte!

Dislexia e Percepção Visual

 

A Percepção Visual é entendida como a capacidade de reconhecer e discriminar os estímulos visuais e de os interpretar, deste modo, e sendo esta uma faculdade de extrema importância no processo de aprendizagem, é fundamental que a criança com Dislexia tenha estes problemas resolvidos ou pelo menos minimizados o mais precocemente possível (a percepção visual desenvolve-se dos 3 anos e meio aos 8 anos). Convém mais uma vez referir que a Dislexia não é causada por perturbações visuais, embora possa estar associado a estas. O treino da Percepção Visual inclui o desenvolvimento da coordenação óculo-manual, posição no espaço, cópia, figura-fundo, relações espaciais, fechamento visual, velocidade visual-motora e constância da forma. 

 Exercício "Percorrer as letras"
Com a ajuda do técnico/professor a crinça desenha uma letra no chão com uma corda. Segudamente a criança terá de caminhar sobre ela, primeiro com os olhos abertos e depois com os olhos fechados. por último a criança deverá repetir a actividade, mas sem a orientação da corda no chão. Este exercício desenvolve o equilíbrio, a estruturação espácio-temporal, a coordenação motora, a praxia global e a integração das letras.

Atividade "Desenhar letras"

 

O técnico/professor mostra a criança cartões com letras, um de cada vez. De seguida, solicita-se à criança que desenhe no ar a letra, primeiro com os olhos fechados e depois com os olhos abertos, depois que desenhe a letra numa caixa com areia. Por fim, as crianças devem formar pares, uma delas deita-se no colchão e a outra irá desenhar letras sobre o seu corpo, tendo a criança, que esta deitada, que advinhar qual a letra que foi desenhada.
Este exercício desenvolve a estruturação espacial, a sensibilidade corporal e a noção das letras. 
   

Exercício Modelação Tónica

Os alunos devem distribuir-se livremente pelo espaço, depois ao sinal do técnico/professor e seguindo as suas indicações devem andar: depressa, devagar, pesados, leves, de cócoras (joelhos dobrados), à gigante, em pontas dos pés, como um pato, como um robôt. Este exercício requer a atenção dos alunos para modelarem a marcha de acordo com aquilo que é pedido. O objectivo é controlar a marcha e os membros inferiores, sentir os diferentes níveis de tonicidade exigidos em cada forma de marcha e imprimi-los ao corpo, ou aos segmentos corporais (braços e pernas). Neste exercício desenvolve-se o equilíbrio e a capacidade de controlo postural, em situações de movimento corporal, e a atenção. 



As crianças com dislexia apresentam geralmente uma grande agitação nervosa e tensão muscular. Para diminuir este estado de tensão é aconselhável proporcionar às crianças sessões de relaxamento.
A Relaxação tem diversos benefícios, a nível físico e mental, ela promove a consciencialização corporal, diminui a tensão muscular, permite controlar a força muscular, alivia os estados de stress e ansiedade, permite a diminuição dos estados de fadiga, promove um melhor conhecimento do corpo, ajuda na aquisição de uma postura correcta e melhora a capacidade atenção e concentração. A relaxação é um meio óptimo para adquirir o equilíbrio e pode ser aplicada na escola ou em casa.

Exemplo de uma actividade de relaxamento: A criança coloca-se em decúbito dorsal em cima de um colchão e fecha os olhos. O técnico/pai coloca uma música calma e vai dando indicações à criança:
a) Imaginar ser um boneco de neve que aos poucos vai se derretendo ao sol;
b) Fingir ser um soldadinho de chumbo que se transforma num boneco desengonçado;
c) Imaginar ser um balão que se vai esvaziando gradualmente;
d) Imaginar ser uma marionete que se vai desmanchando à medida que os cordões que a seguram vão sendo cortados;
e) Imaginar ser uma flor a secar no sol quente;
f) Esticar o corpo para pegar numa fruta pendurada na árvore;
g) Esticar e relaxar os dedos da mão, do pé, os braços e as pernas.
Seguidamente o técnico ou outra criança (caso o exercício seja aplicado numa sessão em grupo), sentam-se ao lado da criança que permanece deitada de olhos fechados e vão-lhe passando objectos com diferentes texturas pelo corpo. A criança que está a receber o estímulo vai indicando os sítios onde está a ser estimulado (cara, braço direito, perna esquerda, entre outros).

Fonte:  http://abddadislexia.blogspot.com.br

1 comentários:

Ney Dhemétryus disse...
Este comentário foi removido pelo autor.

Postar um comentário

Vem comigo!

Método das Boquinhas - Renata Jardini

Loading...

Educação Especial

Loading...

Disfagia

Loading...

Fonoaudiologia Estética

Loading...

Consciência Fonológica em crianças de 3 anos pelo Método das Boquinhas

Loading...

A Divulgação da Fonoaudiologia!

AVISO

Este Blog é uma central de compartilhamento de informações, notícias, trabalhos científicos e arquivos. Sendo seu objetivo principal a interação entre fonoaudiólogos ou estudantes de fonoaudiologia e áreas correlacionadas, sendo assim sua participação é sempre de extrema importância. Além das informações e orientações sobre Fonoaudiologia e áreas correlacionadas, estarão disponíveis materiais terapêuticos, sendo que as autorias sempre serão respeitadas. O fornecimento dos Download visa suprir a dificuldade de acesso e aquisição de materiais em nossas áreas de atuação, porem jamais fazendo apologia a pirataria. Assim deixo um pedido: Caso possam adquirir as obras nas livrarias, compre-as, contribuindo assim com os autores e com o movimento da máquina científica. As publicações de minha autoria que estão sendo disponibilizadas podem ser utilizadas de forma livre pelos visitantes, peço apenas que divulguem a fonte e autoria do material.
“As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e o acompanhamento ao Odontopediatra, Ortopedia Funcional dos Maxilares, Ortodontia,Fonoaudiologia, Nutrição, Psicologia, Pediatria e outros especialistas”