0

Tratamento medicamentoso e a reabilitação das Labirintopatias


O tratamento das labirintopatias pode ser dividido no tratamento etiológico que vai depender da causa da labirintopatia conforme vimos anteriormente e no tratamento sintomático que visa debelar o sintoma principal que é a tontura. A escolha do tratamento sintomático vai também depender da etiologia e da intensidade da tontura, se é uma crise aguda ou uma patologia crônica. Após uma lesão labiríntica, mesmo que definitiva, existe uma compensação central que leva de 2 a 3 meses. O equilíbrio se restabelece se não houver recidivas. O tratamento sintomático deve ser mantido por esse período após a crise.
Medicamentos Usuais :
dimenidrato (Dramin) = útil nas crises. Depressor labiríntico. Uso oral ou parenteral.
cinarizina:  75mg/dia  em 1 ou 3 tomadas ( stugeron ,  antigeron exit : associação piracetam 400 com cinarizina 25mg. )
flunarizina: 10 mg 1 ou 2xdia   de 20 a 60 dias (vertix,  sibelium, flunarin vertizine d: assc. diidroergocristina )
betaistina: 16 mg 3xdia oou 24mg 2xsdia (labirin, betaserc)
cloridrato de difenidol: depressor labiríntico, vaso-dilatador. atua bem em náuseas e vômitos (vontrol : cp de 25 mg, até 4xdia, usualmente 2xdia)
quinina e papaverina: vasodilatador e inibidor labiríntico (monotrean : quinina 100mg e papaverina 40mg   1 cp 2 a 3xdia)
piracetan: ativador do metabolismo cerebral (nootropil (800mg),  nootron (400mg)  exit : associação piracetam 400 com cinarizina 25mg. )
extrato de ginkgo biloba: vaso-dilatador
(tanakan, tebonin 40 e 80 mg)
diazepam: ansiolítico - útil também nas crises. Uso oral ou parenteral.
(dienpax )
sulpirida: ansiolítico - utilizado em patologias crônicas rebeldes ao tratamento habitual.
(equilid)
clonazepam: anti-epilético - útil também em casos rebeldes.
(rivotril)
        Para casos rebeldes ao tratamento clínico existem cirurgias para alguns tipos de labirintopatias.

Tratamento

O tratamento da vertigem compreende:
Repousar na cama
Corrigir os erros alimentares que podem agravar a vertigem e os sintomas associados
Modificar os hábitos ou vícios que possam ser fatores de risco, principalmente o consumo de açúcares de absorção rápida, álcool, café e fumo
Usar remédios que suprimem a atividade do sistema labiríntico do ouvido interno, como a Meclizina, o Dimenidrato (Dramin®) ou a Prometazina (Fenergan®)
Vasodilatadores como o Dicloridrato de Betaistina (Labirin®) e o Dicloridrato de Flunarizina (Flunarin®, Sibeliun®)
Atropina (por via sub-cutânea ou sub-lingual)
Medicamentos anti-colinérgicos como a Escopolamina (Buscopan®)
Tranqüilizantes, como o Diazepam (Diempax®, Valium®)
Exercícios específicos para ajudar reduzir os sintomas, no caso da vertigem postural benigna, conforme esquema abaixo:

0 comentários:

Postar um comentário

Vem comigo!

Método das Boquinhas - Renata Jardini

Loading...

Educação Especial

Loading...

Disfagia

Loading...

Fonoaudiologia Estética

Loading...

Consciência Fonológica em crianças de 3 anos pelo Método das Boquinhas

Loading...

A Divulgação da Fonoaudiologia!

AVISO

Este Blog é uma central de compartilhamento de informações, notícias, trabalhos científicos e arquivos. Sendo seu objetivo principal a interação entre fonoaudiólogos ou estudantes de fonoaudiologia e áreas correlacionadas, sendo assim sua participação é sempre de extrema importância. Além das informações e orientações sobre Fonoaudiologia e áreas correlacionadas, estarão disponíveis materiais terapêuticos, sendo que as autorias sempre serão respeitadas. O fornecimento dos Download visa suprir a dificuldade de acesso e aquisição de materiais em nossas áreas de atuação, porem jamais fazendo apologia a pirataria. Assim deixo um pedido: Caso possam adquirir as obras nas livrarias, compre-as, contribuindo assim com os autores e com o movimento da máquina científica. As publicações de minha autoria que estão sendo disponibilizadas podem ser utilizadas de forma livre pelos visitantes, peço apenas que divulguem a fonte e autoria do material.
“As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e o acompanhamento ao Odontopediatra, Ortopedia Funcional dos Maxilares, Ortodontia,Fonoaudiologia, Nutrição, Psicologia, Pediatria e outros especialistas”