0

Hiperatividade - Como lidar?

Conforme a Enquete que postei no blog, a que venceu em maior número de votos foi o tema Crianças desatentas e hiperativas, como ajudá-las? Irei postar abaixo as maiores perguntas feitas com esse tema, com suas respectivas respostas. Espero que tirem proveito da matéria e deixem seus comentários caso necessitem!


O que é Hiperatividade?

A hiperatividade é um sintoma que não tem definição precisa aceita unanimemente, mas todos concordam que compromete de modo marcante o comportamento do indivíduo, pois interfere nas suas relações sociais, familiares e no seu trabalho.
A hiperatividade é um desvio comportamental, caracterizado pela excessiva mudança de atitudes e de atividades, acarretando pouca consistência em cada tarefa a ser realizada. Portanto, isto incapacita o indivíduo para se manter quieto por um período de tempo necessário para que possa desenvolver as atividades comuns do seu dia-a-dia. Este padrão de comportamento se mostra incompatível com a organização do seu ambiente e com determinadas circunstâncias. Crianças e adolescentes hiperativos são frequentemente considerados pessoas inconvenientes.

Quais as manifestações da Hiperatividade?

Evidenciam-se, de modo isolado ou associado, as seguintes características:

- crianças que se mantêm em constante movimento;
- mexem em tudo, sem motivo e sem propósitos definidos;
- dificuldade para se envolverem em brincadeiras;
- são muito impacientes e mudam de atividade com frequência;
- levantam-se da cadeira, quando em sala de aula, em momentos inapropriados;
- não conseguem permanecer sentadas para assistir a um programa de TV, como um desenho animado;
- mal ficam sentadas à mesa durante a refeição;
- apresentam incapacidade para focar a atenção em qualquer atividade durante um período de tempo necessário para tal. Há certa tendência para desviar a sua atenção para outros estímulos que são impróprios para aquele determinado momento;
- falam demasiadamente;
- distraem-se com muita facilidade e, frequentemente, não conseguem terminar as tarefas propostas para o período preestabelecido;
- a tarefa escolar prolongada é o indicador mais evidente para se detectar a acentuação da hiperatividade.

A partir de quando se percebe que a criança é hiperativa?

A hiperatividade pode ser notada em várias fases do desenvolvimento da criança, seja quando lactente, pré-escolar, escolar ou adolescente. Mas o mais comum e mais fácil de diagnosticar é no período pré-escolar, visto que nesta fase a criança mostra mais sua inquietude em relação as tarefas propostas à ela.

Quais são as evidências do comportamento hiperativo do lactente?

No lactente podem ser evidenciadas algumas características, tais como:
- muito chorão e sem causa aparente
- inquieto
- apresenta dificuldade para conciliar o sono
- período de sono curto
- voracidade ao mamar
- cólicas abdominais frequentes e exageradas
- denota persistente desconforto e insatisfação


As alterações comportamentais do lactente são transitórias?
As manifestações anteriormente citadas podem desaparecer após alguns meses, mas podem persistir sem interrupção até a idade pré-escolar ou mesmo além deste período. Há vezes em que os pediatras solicitam às mães uma dose extra de tolerância, mas com frequência encontramos, no consultório, mães estafadas e irritadas, por conta de noites maldormidas durante vários meses. Devido ao desgaste físico e emocional, estas mães se tornam intolerantes e impacientes, comprometendo de maneira marcante a relação afetiva com a criança e o equilíbrio de todo o ambiente doméstico.

Um lactente tranquilo pode se tornar hiperativo em épocas posteriores da sua vida?
A hiperatividade pode se manifestar ou pode ser notada só no período pré-escolar ou mesmo no período escolar. Há, portanto, crianças que apresentavam comportamento mais tranquilo em outras fases da sua vida e, de modo súbito, tornaram-se hiperativas. Nesses casos devemos considerar os fatores emocionais e ambientais como possíveis determinantes do quadro.

Quando se considera o pré-escolar hiperativo?

Quando há sinais claros de:

- inquietude;
- impaciência;
- espírito destrutivo;
- fala muito e rápido;
- baixa tolerância à frustração;
- sem noção de perigo;
- não se fixa muito num só brinquedo;
- distrai-se com muita facilidade;

Como se manifesta a hiperatividade nos escolares?

- ao brincar, não conseguem se fixar, durante algum tempo, numa determinada atividade;
- mudam, rapidamente, de uma atividade para outra, pois se desinteressam com muita facilidade;
- são muito presentes, isto é, são aquelas crianças que estão sempre em todos os lugares, tal é a hiperatividade;
- trocam de brinquedo frequentemente, por não se satisfazerem por muito tempo com o mesmo;
- espírito destrutivo com objetos e brinquedos;
- não conseguem ficar sentados à mesa durante a refeição;
- assistem televisão por tempo limitado, e mesmo assim inquietos;
- falam muito e mudam de assunto rapidamente, sem mesmo concluir o pensamento anterior;
- dificuldade para acatar ordens.

Quais são as características do adolescente hiperativo?


- impaciência;
- inquietude;
- falta de adaptação social;
- falta de energia para executar as tarefas;
- baixa auto-estima;
- auto-imagem negativa;

Como se identifica a hiperatividade na escola?

O comportamento destoante em relação às outras crianças é o ponto básico da identificação do hiperativo:
- movimentam-se excessivamente na sala de aulas;
- atrapalham a dinâmica das aulas;
- falam muito com os outros colegas;
- não prestam atenção e não conseguem se concentrar nas atividades;
- interrompem a professora com frequência;
- interferem de modo impróprio e inoportuno nas conversas dos outros alunos;
- tumultuam a classe com brincadeiras fora de hora;
- apresentam iniciativas descontroladas;
- o desempenho global nas diversas atividades encontram-se em nível aquém da média do seu grupo.

Por que os pais não percebem este quadro em casa?


Nem sempre os pais conseguem perceber as diferenças comportamentais, especialmente quando não têm outros filhos. Muitas vezes acreditam tratar-se de uma fase transitória, e, com isso, tornam-se mais tolerantes. A acomodação, por parte dos pais, a este tipo de comportamento faz com que não percebam o quanto este se desvia do padrão tolerável. Devemos considerar, também, que os pais não mostram à criança quais são os seus verdadeiros limites e, com isso, muitas vezes elas ficam expostas a situações adversas, inclusive de perigo. Parece, por vezes, haver inversão dos papéis, e, que os pais é que estão sendo educados pelos filhos. Por outro lado, há, também, pais que não querem admitir que o seu filho apresenta algum comprometimento comportamental, e consideram as queixas em relação ao seu filho como sendo uma questão pessoal de antipatia ou de intolerância. Quando a queixa inicial é por parte da escola a primeira providência é mudar de escola. Após a segunda ou terceira mudança acabam se convencendo que é necessária uma avaliação especializada. Esta não aceitação por parte dos pais retarda o diagnóstico e, por consequência, o tratamento.

MAIS INFORMAÇÕES NO PRÓXIMO POST... AGUARDEM!!!

Livro de ajuda: No Mundo da Lua

Fonte: Hiperatividade Abram Topczewski

0 comentários:

Postar um comentário

Vem comigo!

Método das Boquinhas - Renata Jardini

Loading...

Educação Especial

Loading...

Disfagia

Loading...

Fonoaudiologia Estética

Loading...

Consciência Fonológica em crianças de 3 anos pelo Método das Boquinhas

Loading...

A Divulgação da Fonoaudiologia!

AVISO

Este Blog é uma central de compartilhamento de informações, notícias, trabalhos científicos e arquivos. Sendo seu objetivo principal a interação entre fonoaudiólogos ou estudantes de fonoaudiologia e áreas correlacionadas, sendo assim sua participação é sempre de extrema importância. Além das informações e orientações sobre Fonoaudiologia e áreas correlacionadas, estarão disponíveis materiais terapêuticos, sendo que as autorias sempre serão respeitadas. O fornecimento dos Download visa suprir a dificuldade de acesso e aquisição de materiais em nossas áreas de atuação, porem jamais fazendo apologia a pirataria. Assim deixo um pedido: Caso possam adquirir as obras nas livrarias, compre-as, contribuindo assim com os autores e com o movimento da máquina científica. As publicações de minha autoria que estão sendo disponibilizadas podem ser utilizadas de forma livre pelos visitantes, peço apenas que divulguem a fonte e autoria do material.
“As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e o acompanhamento ao Odontopediatra, Ortopedia Funcional dos Maxilares, Ortodontia,Fonoaudiologia, Nutrição, Psicologia, Pediatria e outros especialistas”